MINISTÉRIO PUBLICO AUTORIZOU DESBLOQUEAMENTO DE 35 MILHÕES FCFA

Partilhar está notícia nas redes sociais.

O Ministério Publico confirmou ter autorizado a Ecobank a desbloquear os 35 milhões de francos CFA na conta da Federação de Futebol da Guiné-Bissau (FFGB), para a realizações das despesas da instituição que gere o futebol nacional.

Reagindo as acusações proferidas pelo Inum Embaló, na esta terça feira, durante uma conferencia de imprensa sobre o processo de desvios de fundos da FFGB por parte dos dirigentes do Comité Executivo, nomeadamente Presidente, Manuel Irenio Nascimento Lopes e secretaria Geral, Virginia Mendes Cruz.

Na mesma conferencia de Imprensa, Inum Embaló mostrou-se reticiente da envolvência do Procurador Geral da Republica nos 35 milhões levantados na Ecobank.

Segundo a procuradoria Geral da Republica a autorização aconteceu mediante um requerimento por escrito da Federação, datada de dia 10 de Fevereiro deste ano, e para não comprometer a jornada da seguinte fim de semana do campeonato nacional, o PGR decidiu deferir o requerimento em questão e solicitou ao Ecobank o desbloqueamento de apenas 35 milhões francos CFA.

De acordo com o comunicado, a verba em causa deveria ser usada para as despesas de uma das jornadas do campeonato nacional.

No comunicado, o Gabinete da Imprensa e relações Publicas da PGR indica que a PGR assumiu o processo em causa, tendo constatado que era prematuro o congelamento da conta sem ouvir a parte contraria.

“Em nenhum momento a PGR telefonou ao Banco e muito menos exigiu ao presidente da FFGB a entrega de cheques daquela instituição desportiva, mas sim apenas a apresentação de justificativos da aplicação do valor em causa, que são, 35 milhões de francos CFA, para efeitos processuais”. lê-se no comunicado.

Sobre a transferência do processo de investigação da Federação, das mãos da magistrada Fatumata Embaló, para outro magistrado, deve-se ao facto da Magistrada ter alguma relação de parentescos com autor da denuncia, Inum Embaló. Isso conforme manda a lei orgânica do Ministério Publico, ao contrário das afirmações de denunciante em como o processo ficou retido no gabinete do Procurador da Republica.

Recorda-se que inum Embaló, acusou esta terça feira o Presidente da FFGB, Manuel Irenio Nascimento Lopes e Virginia Mendes Cruz, em como estes terão desviado 35 milhões de francos CFA.

Por: Redação