FEDERAÇÃO DE LUTA CONQUISTA 17 MEDALHAS EM TRÊS ANOS

Partilhar está notícia nas redes sociais.

Atual direção da Federação de Luta da Guiné-Bissau soma 17 medalhas em três anos de mandato, sob a liderança do Francisco Muniro Conté. Nas conquistas constam, quatro (4) medalhas de ouro, seis (6) de prata e sete de bronze.

No último Campeonato Africano da Luta Livre realizado em Marraquexe, Marrocos, a delegação guineense contou com três atletas na categoria de cadetes, no qual todos conquistaram medalhas de prata, mesmo sendo estreantes numa prova internacional, nomeadamente, a Debora Valeria Turé, Caetano Sá e o Diamantino Fafé.

Fruto de uma boa prestação estes atletas foram comtemplados com bolsas olímpicas em Marrocos, segundo a diretora técnica da federação de luta guineense, igualmente selecionadora da modalidade, Leopoldina Ross Dayves.

Numa cerimónia de apresentação pública das medalhas conquistadas em Marraquexe, o presidente da federação de luta, Francisco Muniro Conté aplaudiu as conquistas, e no seu breve discurso, considera de transição geracional dos atletas da luta livre, fazendo referencia ao resultado obtido pelos cadetes em Marrocos.

“Nós como a federação consideramos este feito bastante importante, porque devemos começar a preparar a transição geracional na luta, não podemos pensar que Augusto Midana, Jacira e Quintino já penduram as botas, que a luta vai deixar o legado de trazer as medalhas para a Guiné-Bissau. É por isso, que estamos a fazer estes trabalhos de base”, vincou Conté.

DESCOBERTA DE NOVOS TALENTOS SENIORES E CADETES

Numa campanha de captação de novos talentos seniores, a Federação de Luta da Guiné-Bissau (FLGB) descobriu o atleta Bidopassa e Mbundé Imbali, num Festival de Luta em Bafatá realizado em 2014.

Na captação de talentos na categoria de cadetes, a FLGB conseguiu fazer uma descoberta que começou a dar frutos muito cedo, trata-se da Debora Valeria Turé que foi a medalha de Prata em Marraquexe, sendo a única menina participante na comitiva nacional.

Ainda nos cadetes, o miúdo Caetano Sá também foi medalha de Prata em Marrocos e o Diamantino Fafé que conquistou duas (2) medalhas, uma de Prata e outra de Bronze, ambas em Marraquexe.

Por: Irama Turé