TECNICOS NACIONAIS CONTRA BOICOTE DO CAMPEONATO NACIONAL

Partilhar está notícia nas redes sociais.

Desconfortáveis com as críticas de vários dirigentes de futebol, entre os quais se destaca, naturalmente o colectivo dos clubes “comprometido com a verdade desportiva”, que continuam de costas Viradas com elementos da Comité Executiva de federação de futebol, alguns treinadores manifestam não concordar com ideia de boicotar o campeonato, para exigir a “verdade desportiva”.

De acordo com os nossos entrevistados, não é de bom grado boicotar o campeonato, uma vez que isso só vai contribuir para enfraquecimento das provas nacionais, e prejudicar os atletas.

segundo os técnicos ouvidos pela nossa reportagem, há outras maneiras de exigir a Federação de Futebol da Guiné-Bissau sem o boicote das provas.

Os treinadores de Cavalos Brancos de Cuntum, Mateus Samba Sanha, de  UDIB, Seti Soares Cassama, dos Estivadores, Infara Dabó e João Na Tchicna, de Benfica de Bissau foram unanimes em considerar que o bom para o país e para os jogadores seria não boicote de campeonato.

os técnicos pediram um bom senso entre os dirigentes dos clubes e os elementos do Comité Executivo, para que os atletas possam competir para poderem estar a pé de igualdade com os da sub-região.

Porem, colectivo dos clubes comprometido com a verdade desportiva continuam determinados não participar no campeonato nacional, para exigir a transparência na gestão dos fundos doados pela FIFA e CAF à Federação de Futebol da Guiné-Bissau.

O episodio terá começado com a denuncia de Inun Embaló, antigo membro da instituição Federativa que rege futebol nacional, revelando desvio de fundos e inclusive criação de uma conta “oculta” pela direção liderada pelo Manelinho.

Segundo as informações apuradas pelo “O golo GB” na ultima assembleia geral da FFGB, os membros aprovaram pagamento de salários até de seiscentos mil francos fca, aos membros do Comité Executivo, uma situação tambem que inconformou ainda mais o coletivo.

Recorda-se que dos 15 clubes que militam na primeira divisão, seis deles integram o coletivo dos reivindicadores e 15 militam na segunda divisão.

Por. Elvis da Silva